FORASTEIROS? OS MAIORES BENFEITORES DE PINHEIRO NÃO SÃO PINHEIRENSES!

21 de setembro de 2016 0 Por blogh

Parece até estranho essa afirmativa, mas é a mais pura verdade, a história de nossa cidade nos conta exatamente isso, dos muitos gestores que nossa cidade já teve destacam-se alguns que notoriamente contribuíram com o desenvolvimento de nosso município com obras que até hoje, repito, até hoje servem nossa população. Vamos aqui relacionar algumas personalidades históricas:

JOSÉ ANASTÁCIO DE ARAUJO E SOUSA

A família Araújo Sousa é originária de São Bento, chegou a Pinheiro ainda jovem ingressou na política chefiando o partido conservador após o falecimento do seu pai com a sua atuação em pouco tempo conquistou o prestígio extraordinário do Qual conferiu a este ilustre a oportunidade de dirigir município de Pinheiro por quatro mandatos nos períodos de 1905 a 1927.

No decorrer dos anos em que esteve à frente do Poder Executivo ele proporcionou aos Pinheirenses os Melhoramentos Públicos como a iluminação da cidade que utilizava o querosene como combustível, construção do mercado municipal, do Armazém Municipal e do porto de Santa Cruz e o belo Palácio da Prefeitura sede do governo.

ELIZABETHO BARBOSA DE CARVALHO

elizabeto-carvalho

Natural da cidade de Amarante no Piauí veio a Pinheiro para exercer o cargo de juiz de direito da comarca, mas trazendo consigo a predestinação de transformar a mente e a vida do povo que aqui vivia. Inteligente, estudioso, culto, comoveu-se com o estado arcaico em que vivia nossa gente e iniciou um trabalho como um legitimo filho da terra.

Ele foi a primeira pessoa a pensar em urbanismo, solicitava aos proprietários de casa que construíssem as suas residências em alinhamento, próximas umas das outras e que fizessem o possível para reboca-las e cobri-las de telhas. Aos comerciantes deu noções de administração, mostrava a necessidade de ampliação do comercio para a melhoria dos lucros e a renovação do estoque.

Amante das letras fundou também o Jornal Cidade de Pinheiro, sendo este o mais antigo do interior do Maranhão. Muito influente na cidade, casou-se com uma Pinheirense que infelizmente veio a falecer deixando viúvo, mas mesmo assim, manteve-se fiel aos seus sentimentos com nossa terra.

Foi promovido a desembargador e continuou seus trabalhos por Pinheiro, exerceu os mais altos postos da magistratura maranhense e ocupou os mais elevados cargos do governo do estado, em 1960 o povo que ele acolheu confiaram nele para ser prefeito de Pinheiro e em 1966 veio a falecer nesta cidade, o seu corpo repousa hoje no cemitério Santo Inácio.

ANTONIO COSTA RODRIGUES

costa-rodrigues

Antônio Costa Rodrigues nasceu em São Luis, onde estudou o primário e o ginásio. Formou-se médico pela Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará, em 1938. Ao assumir a prefeitura do município de Pinheiro Costa Rodrigues iniciou um programa de trabalho, no plano de sua administração tinha áreas de Saúde, Educação, Urbanização, estradas e melhoramento da cidade de modo geral.

A saúde era a sua principal base, médico de profissão, associou a medicina ao bem estar das pessoas e com isso dedicou-se de corpo e alma a construção do primeiro posto de saúde de Pinheiro com seção hospitalar de três leitos e maternidade.

No setor de instrução publica foram também notáveis as realizações de Costa Rodrigues, promoveu a criação de um grupo escolar municipal, conseguiu do governo do estado à construção de um prédio próprio para o grupo escolar Odorico Mendes (o mesmo que ainda está de pé na praça José Sarney) pavimentou a Avenida Paulo Ramos e tantas outras ruas de nossa cidade. Segundo Jeronimo de Viveiros, a história, com justiça não lhe pode negar o titulo de grande prefeito.

PADRE LUÍS RISSO

padre-risso

Sim, sabemos que ele não foi prefeito de Pinheiro, mas suas obras e sua contribuição igualam seus préstimos a de um verdadeiro gestor.

O Pe Risso, natural de Roma, Italia, filho de dona de casa e seu pai, militar da força aérea, tendo como irmãos o Sr. Gian Carlos (falecido em dezembro de 2010), a Sra. Beatriz (também falecida) e sr. Paolo. Aos 9 anos Luigi Risso, já deveria decidir entre ser militar ou padre, segundo ele os desígnios de Deus o quiseram para esta missão e mais desafiadora ainda por ser longe de sua terra natal, não sabia o que iria encontrar, porém este era o seu destino.

Em 1960, finalmente chegou o Pe Risso, que está conosco a mais de 50 anos.  Ao chegar aqui em Pinheiro, encontrou uma cidade pequena, muito trabalho deveria ser feito, e assim deu inicio a suas atividades de Evangelização, na época estava com 30 anos, forte e decidido, foi à luta.

O Hospital Nossa Senhora das Mêrces, Escolas em vários bairros da cidade e zona raral, a APAE, incontáveis estradas na Zona Rural, além de caridade, doações aos mais necessitados, estas são algumas das importantes obras deste Italiano nesta terra, ele fez mais do que qualquer outro legitimo filho, hoje com a idade avançada, cansado vive ainda trabalhando, não na mesma proporção que antes, mas Padre Risso continua seu legado de trabalho e dignidade por este povo que lhe acolheu.

Pinheiro sempre foi e sempre será cuidada por aqueles que verdadeiramente amam e escolhem esta terra como sua, nascer aqui ou não tanto importa para quem quer trabalhar.