DECISÃO DE JUÍZA É REVOGADA E SELETIVO É VALIDADO POR DESEMBARGADOR.

4 de abril de 2017 0 Por blogh

Na tentativa de travar o bom funcionamento do trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Prefeito João Luciano, a população vem presenciando a todo momento em nossa cidade, calúnias, difamações, sensacionalismo barato e injustificável usados como armas por opositores para manchar a gestão que está transformando a Princesa da Baixada.

Na semana passada blogueiros e a força midiática ligadas ao ex-gestor divulgaram em primeira mão, antes mesmo dos envolvidos no processo tomarem conhecimento, uma decisão judicial que cancelava o processo seletivo que contratou professores para a rede pública municipal de ensino; a surpresa se equiparou à justificativa que levou ao cancelamento do processo, tendo em vista que os prazos e o rito inerentes à lisura no processo seletivo foi seguido e respeitado na íntegra, não cabendo assim, espaço para interpretações que levassem à determinação que ora, a mesma justiça cancelou por não haver sustentação jurídica.

O Desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos suspendeu a decisão da Dra. Tereza Cristina Franco Palhares Nina, Juíza da Primeira vara da cidade de Pinheiro por entender que tal manobra apenas prejudicaria a educação do município, como mostra alguns fragmentos retirados do texto publicado no site do TJ-MA: …suspensão da decisão guerreada a fim de evitar prejuízo a toda e rede de educação municipal e pede liminar para que seja concedido o efeito suspensivo no agravo com a consequente continuidade do processo seletivo até o julgamento final do presente recurso… Registrado sob o número do processo: 0002188.20.2017.8.10.0000 e protocolo: 015588/2017.

Pinheiro vive um grande momento em sua história política e social, situações eleitoreiras deveriam ser colocadas de lado para seguir o ideal de construir uma cidade melhor para todos, não apenas para uma família, ratifica-se, para todo! Qualquer pessoa que se esquive do cumprimento prático das ações que figuram o seu discurso, está sendo leviano e avesso à verdade.

Veja abaixo a decisão do Desembargador na íntegra: