CRIANÇA DE SETE MESES É O QUARTO CASO DE SARAMPO NO MARANHÃO

14 de setembro de 2019 0 Por blogh

Um bebê de sete meses, morador do município de Caxias, distante 364km de São Luís, é o quarto caso confirmado de sarampo no Maranhão. O estado é um dos 16 que tem notificação ativa para o surto da doença que está atingido todo o país, com o maior foco no estado de São Paulo e da Bahia.

O novo caso maranhense surge após a determinação do Ministério da Saúde em priorizar a vacinação para o público que tem de seis meses a até onze meses de idade, que deve ser imunizado com a dose zero.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Maranhão, além deste caso, o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) tem registro de casos de sarampo nos municípios de Vitorino Freire, Lago da Pedra e na capital, São Luís. Ainda segundo o órgão estadual,  as doses da vacina estão sendo distribuídas regularmente, conforme a população de cada município, e que este é o responsável pela imunização.

Após a confirmação deste novo caso, os órgãos de saúde passaram a adotar as medidas paliativas, recomendadas pela Organização Mundial de Saúde, como o bloqueio vacinal dos contatos diretos dos casos confirmados, assim como solicitou lista nominal de contatos sociais – local de trabalho e outros ambientes – de acordo com o roteiro da linha cronológica do caso, traçado pela equipe de investigação municipal e estadual.
Foco na dose zero para crianças – Nesta semana, o Ministério da Saúde divulgou uma portaria em que determina que a vacinação de grupo prioritário é para imunizar crianças de 6 meses a 11 meses e 29 dias com a dose zero.

Em São Luís, a Secretaria Municipal de Saúde definiu unidades de referência para a aplicação da vacina contra a doença. Assim, os pais – portando o cartão de vacina da criança – devem procurar as unidades Paulo Ramos, Bairro de Fátima, Clodomir Pinheiro Costa, São Francisco, Turu, Genésio Rego, Ribamar Frazão e Itapera; as unidades mistas Itaqui-Bacanga, Coroadinho e São Bernardo; e os Centros de Especialidades Médicas Vinhais e Cidade Operária; e a Maternidade Marly Sarney.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, informou que o reordenamento foi feito em função da necessidade de atender ao público mais vulnerável. “No Brasil já são três óbitos de menores de um ano; por isso, é fundamental imunizar essa faixa etária. E diante da pouca oferta da vacina, o Ministério da Saúde determinou essa nova prioridade, que será cumprida na rede municipal de saúde”, diz.

A vacina é a única forma de prevenção do sarampo, uma doença infecciosa grave que pode levar a óbito. A transmissão ocorre pela via respiratória, e entre os sintomas estão febre, tosse, secreção no nariz, olhos vermelhos e aquosos, além de manchas brancas dentro das bochechas.