MEGA-SENA SORTEIA PRÊMIO DE R$ 14 MILHÕES NA QUARTA-FEIRA (13)

A Mega-Sena acumulou pela terceira vez na noite do último sábado (9) e pode pagar a um ou mais apostadores o prêmio de R$ 14 MILHÕES no concurso de número 2.049, que será realizado na próxima quarta-feira (13).

+ Você sabe quais são as dezenas mais atrasadas da Mega-Sena? Clique aqui e descubra!

Confira os números sorteados:

10 – 19 – 26 – 35 – 38 – 39

A Quina contou com 36 apostas ganhadoras, com prêmio no valor de R$ 57.189,69 cada. Outras 3.611 pessoas fizeram a Quadra e levarão R$ 814,50.

O sorteio do concurso de número 2.049 da Mega-Senaacontece nesta quarta-feira (13), às 20h (horário de Brasília), na cidade de Pelotas (RS), onde está o Caminhão da Sorte.

De acordo a Caixa Econômica Federal, se apenas um sortudo faturar o prêmio e decidir aplicá-lo na poupança, receberá aproximadamente R$ 52 mil por mês em rendimentos.

A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 4,75 através do Sorte Online e pode ser feita até às 15h do dia do sorteio. Os bolões especiais ficam disponíveis até às 19h.

Como jogar na Mega-Sena

Apostar na Mega-Sena e garantir a sua chance de ser o próximo milionário do país é bem simples. Através do Sorte Online, você ainda pode apostar sem enfrentar filas e com várias opções de pagamento.

Tudo o que você precisa fazer é escolher entre 6 e 15 números dos 60 disponíveis no volante. Acertando 6 dezenas você leva o prêmio máximo do concurso.

Em caso de 5 ou 4 pontos os valores são menores, mas também bem atrativos.

Clique aqui, conheça o Sorte Online e garanta a sua aposta

DIANTE DO FIGUEIRENSE, SAMPAIO TENTA CONSOLIDAR APROXIMAÇÃO DO G-4 NA SÉRIE B

Na noite desta terça-feira o Sampaio volta a campo para encarar o Figueirense, em busca de sua segunda vitória fora de casa na Série B. A três pontos do G-4, o Tricolor tenta arrancar pontos contra a equipe catarinense para se manter próximo do pelotão de elite da competição.

Sampaio quer pontuar fora de casa para se manter próximo do G-4 na Série B (Foto: Lucas Almeida / L17 Comunicação)

Sampaio quer pontuar fora de casa para se manter próximo do G-4 na Série B (Foto: Lucas Almeida / L17 Comunicação)

Para o confronto diante do Figueirense, o técnico Roberto Fonseca deverá contar com a entrada de Matheus Santana ou Wellington Rato no time. O meia Fernando Sobral está suspenso pelo terceiro amarelo e um dos desfaques do Tricolor para o jogo.

Para o confronto, além de tentar se manter próximo do G-4, Roberto Fonseca quer um bom resultado para motivar a torcida maranhense para as semifinais da Copa do Nordeste. Após o confronto diante dos catarinenses, o desafio do time maranhense será contra o ABC em busca de uma vaga na decisão do regional.

– É um time que vem crescendo muito e está na briga do G-4. Tem dois, três jogadores que são referências. É uma equipe bem organizada e será uma grande partida. Pretendemos levar um grande resultado e com isso teremos a casa cheia para uma grande decisão na próxima semana – disse o treinador.

O jogo
Local: Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)
Data e horário: terça-feira, às 20h30
Provável escalação: Andrey; Bruno Moura,Maracás, Joécio e Alyson; Willian Oliveira, Diego Silva, Mateus Santana ( Wellington Rato), Danielzinho e Bruninho; Alexandro.
Quem está fora: Fernando Sobral está suspenso, João Paulo e Alvinho estão no departamento médico.
Arbitragem: Elmo Alves (GO) apita o jogo, auxiliado por Fabrício Vilarinho (GO) e Tiago Gomes (GO)

INSCRIÇÕES PARA O SISU COMEÇARAM NESTA TERÇA-FEIRA

Sisu oferece 57 mil vagas; inscrições terão início na próxima terça: Inscrição será feita exclusivamente pelo siteComeça nesta terça-feira, 12, o período de inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Serão oferecidas no total 57.271 vagas em 68 instituições públicas de ensino superior.

O Sisu é o sistema utilizado pelo Ministério da Educação (MEC) para preenchimento de vagas em instituições públicas de ensino superior de todo o País, com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Segundo o cronograma, os candidatos terão até o dia 15 para se inscreverem no sistema. Pode concorrer às vagas quem fez o Enem em 2017 e não zerou a prova de Redação. A inscrição deverá ser feita pela internet, na página do Sisu.

Como se candidatar. Os candidatos deverão escolher, por ordem de preferência, até duas opções de curso entre as vagas oferecidas. As opções podem ser alteradas durante todo o período de inscrição. Somente última modificação confirmada será considerada válida.

O resultado dos selecionados na chamada regular está previsto para o dia 18 de junho. As matrículas vão de 22 até 28 de junho e o prazo para participar da lista de espera é de 22 a 27 de junho.

Governo emite alerta para 86 cidades do Maranhão com risco de surto de dengue, zika e chikungunya

Ministério da Saúde fez um alerta para a necessidade de intensificar as ações de combate ao Aedes aegypti (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

Ministério da Saúde fez um alerta para a necessidade de intensificar as ações de combate ao Aedes aegypti (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

O novo Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) aponta 86 cidades maranhenses com um alto índice de infestação, com risco de surto de dengue, zika e chikungunya. Os dados foram coletados no período de janeiro a 15 de março. As cidades fazem parte de um grupo de 1.153 municípios brasileiros (22%) que estão em estado de ‘risco’.

O levantamento divulgado nesta quinta (7) é dividido em ‘risco’, ‘alerta’ e ‘satisfatório’. Na categoria ‘risco’ estão as cidades que apresentaram índice de infestação predial (IIP) acima de 4%. Dentre todas as cidades do país, Bom Jardim aparece em nono lugar e é a cidade maranhense com o maior índice de infestação: 20,7%.

São Luís está entre as 16 capitais do Brasil que estão em estado de alerta para um surto das três doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypt. Além da capital maranhense estão em alerta o Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (CE), Porto Velho (RO), Palmas (TO), Maceió (AL), Salvador (BA), Teresina (PI), Recife (PE), Brasília (DF), Vitória (ES), Belém (PA), Macapá (AP), Manaus (AM) e Goiânia (GO). Apenas três capitais estão com índice satisfatório: São Paulo (SP), João Pessoa (PB) e Aracaju (SE).

Alerta do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde alerta a necessidade de intensificar as ações de combate ao Aedes aegypti, mesmo durante o outono e inverno, em todo o país.

“O resultado do levantamento indica que é necessário dar mais atenção nas ações de combate ao mosquito. A prevenção não pode ser interrompida, mesmo no período mais frio do ano”, alertou o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Osnei Okumoto.

Segundo o secretário, a continuidade das ações é importante para manter baixos os índices de infestação, justamente para quando chegar a época de maior proliferação.

“Assim será possível manter a redução do número de casos” explicou o secretário.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Levantamento Rápido de Índices por Aedes aegypti (LIRAa), é um instrumento fundamental para o controle do vetor e das doenças (dengue, zika e chikungunya).

Com base nas informações coletadas, o gestor pode identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de criadouro predominante. O objetivo é que, com a realização do levantamento, os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito.

Veja abaixo a lista com cidades maranhenses que estão com risco de surto de dengue, zika e chikungunya, segundo o Ministério da Saúde. A lista com todas as cidades pode ser vista aqui.

  • Água Doce do Maranhão
  • Alcântara
  • Aldeias Altas
  • Amarante do Maranhão
  • Anapurus
  • Apicum-Açu
  • Arari
  • Bacabal
  • Bacuri
  • Barão de Grajaú
  • Barra do Corda
  • Bom Jardim. Nona cidade com 20,7
  • Bom Jesus das Selvas
  • Bom Lugar
  • Buriticupu
  • Buritirana
  • Cachoeira Grande
  • Cantanhede
  • Carolina
  • Carutapera
  • Centro do Guilherme
  • Cidelândia
  • Colinas
  • Cururupu
  • Davinópolis
  • Esperantinópolis
  • Feira Nova do Maranhão
  • Fortaleza dos Nogueiras
  • Governador Edison Lobão
  • Governador Luiz Rocha
  • Humberto de Campos
  • Igarapé Grande
  • Itinga do Maranhão
  • João Lisboa
  • Joselândia
  • Lagoa do Mato
  • Lago da Pedra
  • Lago Verde
  • Lajeado Novo
  • Loreto
  • Luís Domingues
  • Maracaçumé
  • Maranhãozinho
  • Matões
  • Matões do Norte
  • Mirador
  • Miranda do Norte
  • Mirinzal
  • Montes Altos
  • Paço do Lumiar
  • Paraibano
  • Parnarama
  • Pedreiras
  • Peri Mirim
  • Pindaré-Mirim
  • Pio XII
  • Pirapemas
  • Presidente Médici
  • Poção de Pedras
  • Porto Franco
  • Ribamar Fiquene
  • Rosário
  • Sambaíba
  • Santa Helena
  • Santa Rita
  • São Bernardo
  • São Domingos do Maranhão
  • São Félix de Balsas
  • São Francisco do Brejão
  • São João do Paraíso (MA)
  • São João dos Patos
  • São Luís Gonzaga do Maranhão
  • São Pedro da Água Branca
  • São Pedro dos Crentes
  • São Raimundo das Mangabeiras
  • Senador La Rocque
  • Sítio Novo
  • Sucupira do Norte
  • Tasso Fragoso
  • Tuntum
  • Turiaçu
  • Tutóia
  • Vargem Grande
  • Vila Nova dos Martírios
  • Vitorino Freire

UFMA abre seletivo para contratação de professores no Maranhão

Universidade Federal do Maranhão (UFMA) abre seletivo com 30 vagas para professores substitutos (Foto: De Jesus/O Estado)

Universidade Federal do Maranhão (UFMA) abre seletivo com 30 vagas para professores substitutos (Foto: De Jesus/O Estado)

Estão abertas as inscrições para o seletivo para professor substituto na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). No edital nº106/2018, com 22 vagas disponíveis, as inscrições valem até o dia 12 de junho. Já o edital nº112/2018 tem incrições até o dia 18 de junho e oferece mais 8 vagas.

As inscrições valem para candidatos Graduados com pós-graduação stricto sensu-Doutorado e/ou pós-graduação stricto sensu-Mestrado e/ou lato sensu- Especialização. O candidato deve ir até a Secretaria da Subunidade Acadêmica promotora do seletivo e/ou a Divisão de Expediente, Protocolo e Arquivo (DEPA) de forma presencial ou através de procuração autenticada em cartório.

Somando os dois editais são 30 vagas disponíveis para:

  • Saúde do Adulto (CCBS)
  • Saúde da Mulher (CCBS)
  • Semiotécnica (CCBS)
  • Saúde Mental (CCBS)
  • Metodologia da Pesquisa / Atividade Física e Saúde / Esporte e Exercício (CCBS)
  • Análise e Processamento de Dados (CCBS)
  • Introdução à Economia (CCSO)
  • Investigações e Práticas Profissionais em Biblioteconomia (CCSO)
  • Direito Privado (CCSO)
  • Direito Público (CCSO)
  • Estudos Africanos e Afro-brasileiros (CCH)
  • Artes Visuais (CCH)
  • Química Analítica/Tecnologia (CCET)
  • Química Orgânica (CCET)
  • Fisico-Química (CCET)
  • Engenharia (Campus de Imperatriz)
  • Libras (Campus de Imperatriz)
  • Química (Campus de Bacabal)
  • Matemática (Campus de Balsas)
  • Fundamentos da Pedagogia (Campus de Codó)
  • Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca / Engenharia para Aquicultura e Oceanografia (Campus de Pinheiro)
  • Física (Campus de São Bernardo)
  • Fundamentos da Educação (Campus de Grajaú)
  • Filosofia (Campus de Grajaú)
  • Língua Portuguesa (Campus de Bacabal)
  • Sociologia (Campus de São Bernardo)
  • Biologia (Campus de Codó)
  • LIBRAS (Campus de Codó)
  • Fundamentos da Prática da Assistência de Enfermagem/Atenção Integral à Saúde (CCHNST/Campus de Pinheiro)
  • Fundamentos e Metodologia do Ensino da Matemática (CCSST/Campus de Imperatriz)

A remuneração varia de R$ 3.552,05 a R$ 5.742,11 de acordo com a titulação do profissional. O regime de trabalho gira em torno de 20 ou 40 horas. O contrato de trabalho terá vigência por um período de 6 (seis) meses, com possibilidade de renovação a cada 6 meses..

A carga horária de ensino deverá ser complementada com outras atividades, como orientação de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), Monitoria e/ou Estágio. Para mais informações sobre o conteúdo e custo da prova, além dos documentos necessários para a inscrição, basta acessar os editais completos disponíveis abaixo:

Empresa pagou R$ 950 mil por obra de filha de Temer, diz fornecedor

Um fornecedor da reforma na casa de Maristela Temer, filha do presidente Michel Temer, declarou em depoimento à Polícia Federal que recebeu ao todo R$ 950 mil em dinheiro vivo na sede da Argeplan, empresa do coronel João Baptista Lima Filho.

O coronel é apontado por delatores como um intermediário de Temer para o recebimento de propina. O presidente nega as suspeitas.

A reportagem teve acesso ao depoimento de Luiz Eduardo Visani, prestado no dia 29 de maio.

Segundo Visani, os pagamentos “totalizaram aproximadamente R$ 950.000,00”, conforme cópia de recibos que ele diz ter apresentado.

Os valores, afirmou, foram “recebidos em parcelas, diretamente no caixa da empresa Argeplan”, entre novembro de 2013 e março de 2015. Ele contou que recebia mensalmente os valores.

A filha do presidente disse, em depoimento à PF no dia 3 de maio, que “somando superficialmente os valores, acredita ter gasto algo em torno de R$ 700.000,00 (setecentos mil reais) na obra”.

Além de Visani, outros fornecedores prestaram serviços à obra, investigada pela PF sob a suspeita de que o presidente tenha lavado dinheiro de propina com reformas em imóveis de familiares e em transações imobiliárias em nomes de terceiros, na tentativa de ocultar bens.

Visani afirmou que sugeriu receber por meio da conta bancária de sua empresa, mas que a mulher do coronel informou que os pagamentos seriam feitos “diretamente na Argeplan, em dinheiro vivo”.

Ele declarou que não poderia suspeitar de origem ilícita dos recursos. Os recibos e contratos foram elaborados em nome de Maristela Temer, a pedido de Maria Rita Fratezi, mulher do coronel.

CONTATO

O fornecedor disse que recebeu no final de agosto de 2013 um telefonema do coronel, que teria pego seu contato em uma obra na região de Pinheiros.

Segundo ele, o coronel se identificou como “Lima da Argeplan” e disse que tinha uma “concorrência para a reforma de uma casa, também no Alto de Pinheiros”.

Visani afirmou que foi feita uma reunião na sede da empresa, quando o coronel informou que sua mulher, Maria Rita Fratezi, seria a arquiteta responsável pela obra.

O fornecedor disse que, logo no início das obras, foi informado de que a obra era em um imóvel de Maristela. “Vindo a saber na sequência que se tratava da filha do então vice-presidente Michel Temer”.

Basicamente, sua empresa tratou de reforma do telhado, acréscimo de dois terraços e algumas alterações na área externa.

Segundo ele, “a pedido de Maristela Temer’, foi feita uma entrada independente, no piso superior da edícula, para o consultório dela, que é psicóloga.

O fornecedor afirmou ter encontrado com a filha de Temer por quatro vezes para tratar da obra, mas que as tratativas de execução dos trabalhos eram feitas com a mulher do coronel Lima.

SUSPEITAS

Um dos fornecedores da reforma já afirmou ter recebido em dinheiro vivo pagamentos pelos produtos, todos das mãos de Maria Rita Fratezi, mulher de Lima.

Para os investigadores, o depoimento de Visani é fundamental porque ele diz que recebeu os recursos diretamente na sede da Argeplan.

As suspeitas sobre obra integram o inquérito que apura se houve pagamento de propina em um decreto do setor portuário, editado pelo governo Temer em maio de 2017.

A PF apura se Temer recebeu, por meio do coronel Lima, propina da empresa Rodrimar em troca da edição do decreto que teria beneficiado companhias que atuam no porto de Santos.

Para investigadores, a origem do dinheiro das obras são a JBS e uma empresa contratada pela Engevix. Executivos da JBS afirmaram em delação que repassaram R$ 1 milhão a Temer, com intermediação do coronel, em setembro de 2014.

Um dos sócios da Engevix, José Antunes Sobrinho, em proposta de colaboração, disse ter sido procurado por Lima com um pedido de R$ 1 milhão para a campanha do emedebista, também em 2014. A Folha de S.Paulo revelou que a Polícia Federal encontrou planilhas e extratos bancários que apontam cerca de R$ 20,6 milhões em contas de empresas do coronel. Mais R$ 3,04 milhões estão em uma conta do próprio Lima.

O coronel Lima já foi alvo duas vezes de operações da PF. A última foi em março deste ano, quando ele chegou a ficar preso por alguns dias. Até hoje ele não esclareceu o caso à polícia.

A Folha de S.Paulo mostrou que a PF encontrou o que considera ser o primeiro elo financeiro documentado entre o coronel e a Rodrimar.

Segundo a linha de investigação, a ligação entre o coronel e a Rodrimar é a empresa Eliland, braço de uma offshore sediada no Uruguai.

DEFESA

A reportagem procurou a defesa de Lima e o Palácio do Planalto, que não haviam se manifestado sobre o depoimento de Visani até as 19h30.

Em depoimento à Polícia Federal no dia 3 de maio, Maristela disse que seu pai indicou o coronel para ajudá-la na reforma de sua casa, em 2014.

Ela, no entanto, diz que fez a reforma por conta própria e que a mulher de Lima apenas a ajudou, sem receber por isso.

Maristela disse ainda que “não possui e não guardou nenhum comprovante dos pagamentos e contratos eventualmente realizados” na reforma.

ALOYSIO NUNES ANUNCIA RETOMADA DA NEGOCIAÇÃO DO USO DA BASE DE ALCÂNTARA PELOS ESTADOS UNIDOS

EUA e Brasil negociam o uso da base de Alcântara para lançamento de foguetes e satélites   (Foto: Arquivo)

Após reunião nesta segunda (4) com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, anunciou a retomada de negociações para um Acordo de Salvaguarda Tecnológica (AST) que permitirá a utilização da Base de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, pelos Estados Unidos.

As informações são do Ministério das Relações Exteriores, que diz que a ideia vinha desde o governo de Fernando Henrique Cardoso. As negociações já devem ter início, mas ainda não há prazo final para conclusão.

O ministro Aloysio Nunes esclareceu que a AST é um acordo recíproco que resguarda a propriedade tecnológica e intelectual de ambos os países. A forma como isso será feito ainda está em discussão.

Além disso, segundo o Ministério, o Brasil não perde a propriedade da base de Alcântara, que interessa a vários países devido a sua posição perto da linha do Equador e proporciona economia de combustível para o lançamento de satélites.

MELTANOL?: APICULTOR FAZ ETANOL A PARTIR DE MEL E DRIBLA CRISE DOS COMBUSTÍVEIS

O apicultor Luiz Jordans Ramalho Alves pode não ter sido o único motorista do Brasil que não passou aperto durante a greve dos caminhoneiros. Mas difícil é achar um que, a exemplo dele, ande por aí com o tanque cheio de etanol caseiro feito a partir do mel.

Luiz Jordans abastece seu carro com etanol à base de mel desde 2015

Luiz Jordans abastece seu carro com etanol à base de mel desde 2015 Foto: Mário Bittencourt/ BBC Brasil / BBC News

O apicultor de 46 anos é autossuficiente em etanol desde 2015, quando, por insistência em aproveitar todo o descarte do mel, acabou descobrindo que era possível obter o combustível a partir do produto.

A experiência de Jordans, morador de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, é inédita no Brasil, segundo engenheiros da área química, mecânica e estudiosos de biocombustíveis no país consultados pela BBC Brasil.

Na zona rural de Barra do Choça, cidade de 34 mil habitantes vizinha a Vitória da Conquista, Jordans possui um entreposto por onde passam de cerca de 10 toneladas de mel por mês. Na mesma área, ele tem ainda mais de 100 mil pés de café.

O mel vem de seus apiários e de dez cidades da Bahia, Estado cuja produção é de 3,5 mil toneladas ao ano, ou 9% da produção nacional, segundo dados referentes a 2016, os mais recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Reaproveitamento

O mel que chega ao entreposto de Jordans é comercializado em mercados de cidades da região sudoeste da Bahia, e do volume produzido sempre acaba voltando para o apicultor entre 0,5 e 1% de mel, chamado de descarte.

“Eles voltam por pequenos defeitos, como uma embalagem que trincou e gerou risco de contaminação, então, recolhemos para manter o controle de qualidade do mel”, disse.

Descartar mel no meio ambiente, conta o apicultor, é um risco às próprias abelhas, pois elas podem consumir o produto fermentado e acabar morrendo, o que prejudicaria a atividade.

Jordans é apicultor há quase 30 anos, mas o descarte só virou preocupação maior nos últimos dez anos, quando no entreposto aumentou seu movimento para 10 toneladas mensais.

Em 2012, ele contratou uma consultoria que o auxiliou a montar um projeto sobre aproveitamento do descarte para produzir extratos de mel, como álcool etílico (conhecido como alimentício ou nobre) e, com isso, fazer cachaça ou aguardente de mel.

Enviado para a Fapesb (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia), o projeto foi aprovado com verba de R$ 185.052,40 para o apicultor, que usou o dinheiro para comprar os equipamentos necessários ao processo de produção do álcool etílico.

O financiamento público ocorreu por meio de uma proposta da fundação de abrir a pesquisa para empresas. A consultoria entrou como responsável técnica da pesquisa, já que o apicultor não é da área – é especialista em apicultura, com diversos cursos realizados, e tem formação técnica em administração.

Produção caseira

Depois que conseguiu o financiamento da Fapesb, Jordans montou no entreposto de mel, sua segunda casa, um pequeno laboratório para obtenção da aguardente. No processo químico, o descarte entra em fermentação num tanque de 250 litros durante 5 a 15 dias.

Nesse período, ocorre a primeira destilação do álcool, que dura 24 horas. É daí que surge o álcool etílico, que rende por ano mais de 600 litros, usado por Jordans para fazer aguardente de mel e comercializar por R$ 60 a garrafa de meio litro – valor cobrado ainda hoje.

Ele ainda usa a mesma aguardente para fazer licores de café e chocolate, o que lhe rende uma renda extra neste mês de junho, de muitos festejos relacionados ao São João em todo o Nordeste.

"O desempenho diminui um pouco, mas dá para andar tranquilo", relatou o apicultor sobre o álcool de mel

“O desempenho diminui um pouco, mas dá para andar tranquilo”, relatou o apicultor sobre o álcool de mel Foto: Mário Bittencourt/ BBC Brasil / BBC News

O financiamento da Fapesb durou até 2014, mas, apesar de satisfeito por estar produzindo álcool etílico e faturando mais, Jordans se sentia incomodado por ver que 30% do descarte não estavam sendo aproveitados para nada. Ele decidiu continuar as pesquisas por conta própria, fazendo aguardente e estocando o que restava.

Até que, em 2015, teve a ideia de enviar o produto restante para testes num laboratório de Salvador, que apontou que o líquido tinha graduação alcoólica de 80%, próximo às normas da ANP (Agência Nacional de Petróleo) para o etanol hidratado, utilizado em veículos – que deve ter 94,5% de álcool.

“Fiz um teste com meu carro e funcionou”, disse Jordans, informando em seguida que notou redução da potência do motor do veículo enquanto rodava.

“Ele perde força, sobretudo em ladeiras ou durante ultrapassagens, aí tem de pisar mais no acelerador. Com o álcool hidratado, da cana-de-açúcar, o carro faz 7 km com um litro, e com esse meu álcool de mel chega a 5 km”, ele contou.

Por semana, Jordans produz cerca de 50 litros de etanol, mas não vende nenhum – e nem poderia, porque seu produto não atende às normas da ANP. “Mas o que tem de amigo querendo que eu venda não dá nem pra contar. Para uso em veículo, só no meu”, declarou.

Mercado potencial

Se estivesse dentro das normas, Jodans até poderia comercializar seu álcool como produtor independente. Isso é permitido pela Resolução Nº 19, de 15 de abril de 2015, da ANP, sobre as regras da produção, comercialização e especificação do etanol hidratado e o anidro, misturado à gasolina.

Mas Jordans não pensa em produzir para vender. O objetivo dele, aproveitar todo o descarte do mel, já foi alcançado. O produto, que é uma fonte de energia limpa, vem sendo utilizado no carro que ele divide com a esposa e em outros dois da empresa, todos flex.

Durante a greve dos caminhoneiros, enquanto em Vitória da Conquista, assim como em outras cidades do Brasil, já não havia combustível na maioria dos postos, Jordans “ostentava” 200 litros de etanol de mel em casa – e levou parte do estoque às ruas para gravar um vídeo abastecendo seu veículo.

“Nós estamos aqui nesse momento de crise no abastecimento, nós também temos essa dificuldade, mas estamos encontrando parcialmente a solução”, dizia ele, antes de despejar 20 litros no tanque. “Dá até para sentir o cheirinho de mel.”

A satisfação maior do apicultor é saber que o mel está sendo todo aproveitado. “É uma responsabilidade ecológica minha não realizar mais o descarte, não quero parar nunca mais com isso”, acrescentou.

Aperfeiçoamentos

O etanol que o apicultor produz pode ser melhorado com algumas técnicas não muito difíceis para atender ao nível de exigência da ANP, no que se refere à graduação alcoólica, informa a engenheira química Sabrina Neves Silva.

“No caso de processos físicos, uma redestilação poderia aumentar um pouco o rendimento”, ela diz. “Contudo, o mais indicado seria uma destilação azeotrópica, diferente da destilação comum.”

Em termos simples, a destilação azeotrópica consiste em adicionar um terceiro componente à mistura álcool/água, que teria mais afinidade química com a água, extraindo esta substância do etanol.

“Já em processos de separação químicos, seria possível utilizar óxido de cálcio ou carbonato de potássio, por exemplo”, completa Sabrina, doutora em engenharia e professora do curso da Engenharia de Energia da Universidade Federal do Pampa, no Rio Grande do Sul.

Mel descartado durante o controle de qualidade é usado para fazer o combustível

Mel descartado durante o controle de qualidade é usado para fazer o combustível Foto: Mário Bittencourt/ BBC Brasil / BBC News

O engenheiro mecânico Lourenço Gobira Alves, doutor em Engenharia Mecânica e professor e chefe do departamento do mesmo curso na Universidade Federal da Bahia (Ufba), acredita que o etanol de mel funcione bem caso passe, antes, por esse processo de melhoria.

“Nas condições atuais, provoca redução da potência do motor e opera com maior dificuldade de combustão”, acrescenta, atestando o que o apicultor já vem sentindo na prática.

Outro problema que Gobira observa no etanol de mel feito atualmente é a porcentagem alta de água, que faz o carro ter problemas na partida, principalmente em locais com baixas temperaturas, como é o caso de Vitória da Conquista, conhecida pelo apelido de “Suíça baiana”, devido ao rigoroso frio.

“Talvez haja dificuldade para dar partida no motor pela manhã”, comenta o engenheiro, para quem “uma iniciativa como esta, de produzir etanol a partir do mel, é muito mais que bem-vinda, tem de ser explorada e conhecidos os seus limites.”

“Quem sabe”, reflete Gobira, “não vamos ter o meltanol.”

CORREIOS DEVEM DEMORAR 15 DIAS PARA NORMALIZAR ENTREGAS

Resultado de imagem para atraso dos correios
Os Correiros devem demorar cerca de 15 dias para conseguir normalizar as entregas atrasadas. Em função da falta de combustível e dos bloqueios nas estradas decorrentes da paralisação de 11 dias dos caminhoneiros, a empresa pública deixou de entregar cerca de 85 milhões de encomendas e mensagens nos últimos dias.
Em nota, a empresa garante que, desde o fim do movimento paredista, está reforçando as operações, convocando mutirões para distribuir as cargas no menor espaço de tempo possível.
Apesar disso, serviços com dia e hora marcados (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) permanecem temporariamente suspensos. Os demais serviços de encomendas como o Sedex convencional e o PAC foram mantidos e tiveram apenas o prazo de entrega ampliado.
Segundo a empresa, em condições normais, são entregues aproximadamente 25 milhões de objetos por dia.

DEPUTADOS SÃO VÍTIMAS DO GOLPE DA CLONAGEM DE WHATSAPP

Resultado de imagem para whatsapp clonado

Os deputados estaduais Vinícius Louro (PR) e Valéria Macedo (PDT) tiveram suas contas do aplicativo WhatsApp clonadas nesta sexta-feira (01). Os parlamentares informaram, por meio de notas distribuídas à imprensa, que foram vítimas do golpe praticado por supostos criminosos virtuais.

A assessoria de imprensa de Valéria Macedo informou que a parlamentar está no interior do Maranhão, mas que já formalizou notícia-crime à Secretaria de Estado de Segurança Pública relatando a clonagem da sua conta de WhatsApp.

A deputada pede para que os seus contatos desconsiderem quaisquer mensagens originadas pelo número de WhatsApp clonado.

Na nota distribuída à imprensa, Vinícius Louro também comunicou o crime virtual por ele sofrido e pediu que sejam desconsideradas mensagens, ligações ou quaisquer solicitações com procedência dos seus números de WhatsApp.

ORIENTAÇÕES 

A clonagem de WhatsApp virou um problema para a classe política em todo o país. Em março deste ano, o deputado federal Cléber Verde (PRB/MA) também foi vítima deste crime cibernético.

No golpe, os criminosos invadem contas do WhatsApp para subornar amigos e familiares das vítimas, solicitando transferências de recursos financeiros.

Apesar do crescimento do problema entre os políticos, todos os cidadãos estão expostos a esse mesmo risco e, eventualmente, podem ter seus perfis no app clonados. Com isso, o golpista tem acesso a todas as mensagens de sua vítima, em tempo real, mesmo utilizando outro chip e aparelho.

Como restaurar a conta de WhatsAPP após clonagem:

Primeiro, é preciso entrar em contato com a sua operadora e solicitar suspensão temporária da linha. O procedimento é semelhante no caso de roubo/ furto ou perda do aparelho. A linha deixará de funcionar em apenas alguns minutos.

Feito isso, vá até uma loja física autorizada de sua operadora e apresente os documentos originais do titular da linha. Depois, peça a transferência do número para um outro chip.

Realizando este procedimento, envie um email para support@whatsapp.com com a mensagem “Perdido/roubado: Por favor, desative minha conta”.

Ainda no email, informe o seu número de telefone no formato internacional (+55 9 xxx xxx xxxx).

A conta do WhatsApp será desativada por 30 dias e você só pode reativá-la dentro deste prazo, passado o tempo ela será excluída permanentemente.

Depois de ativar a linha novamente, reinstale o aplicativo e o configure normalmente. Informe o código de verificação de duas etapas e solicite o recebimento por SMS.

O celular com o WhatsApp clonado não receberá o código, pois a linha já terá sido desativada.

Por último, você só precisará habilitar a verificação de duas etapas e informar seu e-mail para confirmação.

%d blogueiros gostam disto: