PADRASTO É PRESO POR ESTUPRO CONTRA ENTEADA DE 12 ANOS NO MARANHÃO

A Polícia Civil do Maranhão, por meio da Delegacia Regional de Balsas, prendeu em flagrante nesta sexta-feira (18) Abdias de Jesus Abreu, de 40 anos, por estupro de vulnerável contra sua enteada, uma adolescente de 12 anos.

O preso foi denunciado pela mãe da criança, que flagrou o companheiro tocando em sua filha durante o horário do almoço, no quintal da casa onde moram.

Em depoimento, a mãe afirmou que, ao flagrar o abuso, o agressor estava de calça arriada e pênis ereto. A mulher disse ainda que Abdias ficou muito desconfiado, fingiu que estava urinando e foi para o trabalho.

Após receber a denúncia, a Polícia Civil seguiu até a construção onde Abdias estava trabalhando como mestre de obras e o conduziu à delegacia, onde ele confessou o crime. Abdias foi autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável.

De acordo com o Delegado Fagno Vieira Silva dos Santos, as investigações mostram que o crime acontecia há quase um ano, desde que a menina tinha 11 anos. A adolescente disse que não contou sobre o crime por medo e vergonha.

PINHEIRO: DE VOLTA AO CAMPEONATO MARANHENSE COM A MISSÃO DE ASSUSTAR OS ADVERSÁRIOS

Após 25 anos de ausência no Campeonato Maranhense, o Pinheiro retorna a competição com expectativa de chegar pelo menos nas semifinais. No segundo semestre da temporada passada, o PAC conquistou o título da Série B do Estadual e ficou com o vice-campeonato da Copa FMF.

Apostando neste bom retrospecto, o clube confirmou a manutenção do técnico Luís Miguel e também de boa parte do elenco que disputou as duas competições, apenas com a perda do artilheiro Diego Vitor que foi para o Moto Club.

Pré-temporada

O Pinheiro aproveitou a base das competições para dar continuidade nos treinamentos de pré-temporada buscando ganhar uma vantagem física em relação aos adversários.

Além disso, a equipe realizou dois jogos amistosos neste período de preparação. Na primeira partida, realizada no dia 13 no Campo da FNS, venceu a equipe de Guimarães pelo placar de 5 a 2 .

Na última quarta-feira (16), foi a vez de enfrentar o São Bento no Estádio Newton Bello e acabou em um empate sem gols.

Campanha de 2018

Em 2018, o Pinheiro disputou a Série B do Campeonato Maranhense e conquistou o título. A campanha invicta teve quatro vitórias e quatro empates em oito jogos disputados na competição.

Na final contra o Chapadinha, o Pinheiro venceu por 2 a 1 no jogo de ida e empatou por 2 a 2 na volta para conquistar o título.

Povoado de Matinha ajuda o Maranhão a ficar entre os quatro estados onde mais se produz peixes

Pesca em Itans

O Maranhão é o quarto maior produtor de peixes nativos do Brasil, com produção de 23.850 toneladas de peixes, o que corresponde a 95% de sua capacidade produtiva, segundo relatório da Associação Brasileira de Piscicultura (Peixes BR), publicado no Anuário 2018. O relatório da Peixe BR aponta que “estratégias bem construídas” e medidas de apoio à atividade pesqueira vêm fazendo com que o Maranhão se consolide, cada vez mais, como um dos principais estados produtores de peixes cultivados da Região Nordeste.

Atualmente destacam-se quatro polos de produção de peixes no Maranhão: Baixada Ocidental, Baixada Oriental, Região Sul (ou Gerais de Balsas) e Região Tocantina. Os municípios de Matinha, Arari, Vitória do Mearim, Pindaré-Mirim, Igarapé do Meio, Santa Rita, Estreito, Balsas, Imperatriz e Grajaú estão entre os maiores produtores de peixes em cativeiro do estado. O povoado Itans, zona rural de Matinha, é a principal referência de criação de peixes da Baixada Maranhense.

No estado, as principais espécies cultivadas no estado são Tambaqui, Tambatinga, Curimatã, Piau e Pacu (todos peixes nativos), além da Tilápia – esta última representa 51,7% da produção nacional. Segundo a Peixe BR, o Brasil atualmente é o quarto maior produtor do mundo de Tilápia. Um dos recentes avanços na atividade piscicultora maranhense foi a evolução do nível tecnológico da produção, a partir de convênio com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), como explica o engenheiro de pesca e gestor de Programas de Unidades Regionais da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Sagrima), José de Ribamar Rodrigues Pereira.

“A partir de 2017, foi firmado convênio para prestar assistência técnica e gerencial aos piscicultores atuantes nos Agropolos estabelecidos no Estado, além de aportar equipamentos e insumos para comunidades promissoras, como máquinas agrícolas, construção de viveiros de produção, embarcações para auxiliar no arraçoamento dos peixes, tanques de produção e ração balanceada para todo o ciclo produtivo”, detalha o gestor.

Pereira ressalta, ainda, que desde 2015 a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) já vem ampliando o suporte técnico aos piscicultores e que a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) tem, nos últimos quatro anos, atuado conjuntamente na orientação e controle dos aspectos sanitários, na produção e despesca, no transporte, no armazenamento e na comercialização dos produtos e subprodutos do pescado.

Plano Estadual 

Segundo o gestor da Sagrima, as atividades em curso não são suficientes para garantir o desenvolvimento sustentável da piscicultura no Maranhão. Ele frisa que a instituição de polos de desenvolvimento para esse segmento da economia é um dos compromissos do governador Flávio Dino para o seu segundo mandato.

“Durante a gestão que se findou em dezembro, a Sagrima, em análise permanente dos projetos em execução e em consultas ao setor produtivo, desenvolveu o marco conceitual e a estratégia a ser implementada em um Plano Estadual de Desenvolvimento da Pesca e Aquicultura, que consiste na instituição de cinco polos, com infraestrutura, logística e tecnologia ajustadas às condições territoriais”, diz Pereira.

“ATÉ AQUI TEM TIDO MUITOS PROBLEMAS”, DIZ FLÁVIO DINO SOBRE GOVERNO BOLSONARO

O governador do Maranhão Flávio Dino foi o entrevistado do programa ‘Diálogos com Mario Sergio Conti’, da Globo News, nesta quinta-feira, 17, e fez uma análise dos primeiros 17 dias de governo do presidente Jair Bolsonaro. Para ele, ainda é muito recente, mas “até aqui tem tido muitos problemas”.

Dino citou como exemplo o controverso decreto sobre a flexibilização da posse de armas, os desencontros de atos, fatos e versões e afirmou que falta um núcleo dirigente no atual governo federal. “Acho que até aqui mais fatos negativos do que propriamente positivos”, analisou.

Para o governador do Maranhão, na política econômica nada aconteceu para que se pudesse fazer uma avaliação mais precisa. Ele afirmou que discorda ideologicamente do governo Bolsonaro, mas espera que haja diálogo para que temas de interesse do povo do Maranhão possam ser atendidos.

“São críticas para reflexão. A oposição colabora com o governo. Nós exercemos esse papel. Não renunciarei a nenhuma das minhas convicções”, afirmou Flávio Dino.

ILSON MATEUS AFIRMA: “NÃO QUERO VANTAGEM A MAIS DO QUE NINGUÉM”

O empresário Ilson Mateus realizou uma entrevista coletiva na sede administrativa do Grupo Mateus na tarde desta quinta-feira (17) para esclarecer que não recebe um crédito tributário exclusivo do Governo do Maranhão e também aproveitou para demonstrar o balanço financeiro e o plano de expansão para os próximos cinco anos.

A convocação da imprensa por parte do empresário deu-se por conta da iminente falência do Supermercados Maciel que dentro das redes sociais foi imputada ao grande crescimento do Grupo Mateus com ajuda do Poder Público.

Mateus citou as duas principais normas tributárias para explicar a sua posição no mercado: o Decreto nº 31.287/2015 (Regime Tributário do Setor Atacadista) e a Lei nº 10.576/2017 (Regime Tributário dos Centros de Distribuição).

De acordo com a polêmica, a lei de 2017 teria sido promulgada exclusivamente para beneficiar o Grupo Mateus, ocorre que, de acordo com Ilson Mateus, a empresa não se enquadra nesta norma específica atuando dentro do decreto de 2015 que beneficiaria 105 empresas no Maranhão, incluindo os Supermercados Maciel.

“Não há nenhum benefício exclusivo ao Mateus. Como eu mostrei nesta relação das duas leis, nós conseguimos esses mesmos 2% de imposto nos enquadrando no Decreto de 2015”, afirmou. “Eu não quero nenhuma vantagem a mais do que ninguém. Apenas no mês de dezembro nós pagamos R$ 32 milhões de ICMS no Maranhão”.

Mateus também aproveitou para lamentar profundamente o envolvimento no nome da empresa no possível fechamento do Maciel. E comentou que estas “notícias falsas” têm afetado a imagem e a credibilidade da empresa e que os concorrentes estão se aproveitando do caso.

“Eu te confesso que em alguns momentos, para a gente que trabalha muito, não é fácil não. Nos últimos dias tenho sofrido com esses boatos, fornecedores, investidores e bancos estão ligando perguntando o que houve. Quem perde é o Maranhão”, afirmou.

Monopólio 

Mateus negou qualquer monopólio de sua empresa no mercado atacadista do Maranhão e reforçou a sua crença no mercado, além de citar a força de investimento de alguns concorrentes multinacionais.

“De monopólio eu só conheço empresas estatais, mais precisamente Petrobras e Correios aqui no Brasil. O que eu acredito é em trabalho e investir com inteligência, pois o mercado é senhor dele mesmo. Eu não tenho força de impedir ninguém de entrar no mercado do Maranhão”, explicou.

Além disso, Mateus afirmou que toda a sua estratégia é de sobrevivência. Com um faturamento de R$ 7 bilhões anuais, o Grupo Mateus está de olho na entrada de grupos como Carrefour, Pão de Açúcar/Assaí no mercado maranhense.

“Nós trabalhamos forte como uma grande equipe. Quando estes gigantes vierem para cá, eles não vem de brincadeira e não vão dar moleza. Por isso temos que estar bem preparados”, completou.

SAMPAIO CORRÊA É GOLEADO PELO CEARÁ NA SUA ESTREIA NA COPA DO NORDESTE

O Sampaio foi goleado na sua estreia na Copa do Nordeste, competição em que o time é o atual campeão, noite desta quinta-feira (17) pela primeira rodada. Jogando na Arena Castelão, o Ceará não encontrou dificuldades para atropelar o tubarão por 5 a 0.

O primeiro gol da partida veio somente no fim do primeiro tempo, com Felipe Baxola, aos 42. A goleada cearense foi complementada na segunda etapa com gols de Vitor Feijão, aos sete, Ricardinho, aos 17, e Ricardo Bueno, aos 42 e 46.

O atual campeão da Copa do Nordeste estreou sendo goleado e abre a competição com a lanterna do Grupo A. O Ceará pelo outro lado agora é o líder da Chave B.

RESENHA LITERÁRIA DA OBRA CARNAVAL DOS MORTOS – Pela Pinheirense Emídia Ferreira Alves Pereira

Caiu-me às mãos, por puro acaso, o romance “Carnaval dos Mortos”, do escritor maranhense Altemar Lima. Confesso que fui atraída pelo inusitado do título. O curioso é que adquiri o livro, como relíquia, em uma banca de revista no bairro do João Paulo, em São Luís. Li-o de um só tomo. E no percurso da leitura, me vinham os questionamentos, as tentativas de desvelamento do tão curioso título. A cada capítulo novas descobertas, correlações que se entrelaçavam e iam se definindo em minha memória.

Então, o “Carnaval dos Mortos” seria o carnaval dos ‘vivos’ que vegetam e vivem os devaneios da solidão, ilhados nas angústias, frustrações e insatisfações que lhes prega este mundo? E assim, tentam fugir, buscam o escapismo dos ultrarromânticos, no passado da infância, nas lembranças dos fatos e das pessoas, nas leituras, enfim… Ou seria o carnaval dos mortos de fato, que muitas vezes se manifestam, na sua grandeza e genialidade, pelos corpos e mentes frágeis dos humanos que ainda habitam este universo? Aqui reconheceríamos os grandes mestres da literatura, que hora ou outra são citados em versos ou em prosa, aliados às circunstâncias experimentadas pelo eu lírico em meio à narrativa cadente que parece transbordar de uma riqueza de detalhes que nos faz vislumbrar um verdadeiro ‘carnaval’ de estilos e obras literárias. Como se outros por ele falassem e escrevessem. Ou ainda poderia se entender o Carnaval dos mortos como uma homenagem e memória aos que já se foram, porém permanecem na lembrança e na história de alguém ou de um povo. Nas tantas histórias que, em um processo de epifania, surgiam a cada capítulo, como se quisessem driblar a atenção do leitor e desviá-lo da angústia e ansiedade em que mergulhava o eu lírico.

São as formas polissêmicas que um leitor poderia depreender da relação que se estabelece entre o título do livro com o conteúdo narrado, com uma análise mais específica dos elementos da narrativa, dos intertextos, e, quiçá, do contexto de produção desta fantástica obra. O próprio autor, na sua magnitude e peculiaridade linguística, envereda por universos misteriosos, algumas vezes macabros, outras vezes de intenso sentimentalismo e delírios que traduzem essa riqueza semântica. Outrossim, nos conduz a encontros e reencontros com escritores grandiosos da nossa literatura que refletem, em suas diversidades estilísticas e temáticas, esse conjunto de significados, como também as trilhas pelas quais pode-se percorrer para se chegar à leitura e apreciação desse romance.

Dos estilos mais marcantes nessa narrativa de Altemar Lima, vale ressaltar a forte manifestação do ultrarromantismo de Álvares de Azevedo, quando nos contos narrados na obra “Noite na Taverna” há forte expressão de sentimento, atração pela morte, escapismo, traços muito semelhantes aos que são apresentados nos capítulos e no enredo de Carnaval dos Mortos. Por outro lado, a genialidade do poeta português Fernando Pessoa revela-se em um recurso fantástico que o escritor traz nesta obra, que são as cartas supostamente escritas e enviadas por seus amigos e/ou amigas, artifício muito familiar aos heterônimos de Fernando Pessoa. Nelas o eu lírico apresenta ao leitor conceitos, experiências, argumentos que descrevem, justificam e definem o sentimento amoroso, as relações amorosas, as perdas e os possíveis comportamentos e atitudes entre os amantes / ex-amantes, enfim, os inúmeros e muito particulares fatos que revelam, sobremaneira, o estado de espírito do eu lírico. Outros muitos escritores citados no livro Carnaval dos Mortos, e, subjetivamente revisitados pelo autor, e consequentemente pelo leitor, contribuem para fazer deste livro uma literatura de especial singularidade no universo de arte contemporânea.

Portanto, ler Carnaval dos Mortos é viajar pela literatura, pela arte universal. Navegar por entre um mar de experiências que nos fazem pensar, sentir, experimentar um emaranhado de sensações, tais quais as do eu lírico. E, em meio a esse “carnaval” também construímos as nossas fantasias ladrilhadas com o brilho da riqueza vocabular, das sutis analogias, do estilo genial deste grande escritor maranhense, Altemar Lima. Assim, a leitura desta obra encanta, mas sobretudo abre novos horizontes de leitura, de releituras e de interpretações, de maneira única, como bem nos traduz o inusitado e paradoxal título do livro “Carnaval dos Mortos”.

*Emídia Ferreira Alves Pereira é especialista em Língua Portuguesa e Literatura, colaboradora das esferas pública, estadual e municipal como professora de Língua Portuguesa.

QUEBRADEIRAS DE COCO BABAÇU INOVAM E CRIAM CENTRO DE FORMAÇÃO

Uma ideia pioneira no Maranhão. É o que propõe o Centro de Formação do MIQCB direcionado à capacitação das quebradeiras de coco babaçu. A criação do Centro é uma iniciativa do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) por meio do projeto Floresta de Babaçu em Pé, que conta com recursos do Fundo Babaçu e apoio do Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. O evento vai ocorrer nos dia 17 e 18 de janeiro.

O Centro de Formação visa capacitar um total de 150 pessoas, entre mulheres de jovens. Durante os dois dias, quebradeiras de coco babaçu (do Maranhão, Pará, Piauí e Tocantins)  estarão reunidas para a construção do plano político-pedagógico do Centro de Formação.

O objetivo é fortalecer ainda mais a formação política das quebradeiras de coco babaçu na luta pelo acesso livre ao território e preservação das florestas de babaçuais e ampliar e consolidar a cadeia de produtos derivados do coco babaçu.

Entre os cursos modulares que serão direcionados: Consultoria para elaboração de um Plano de negócio e Sustentabilidade do Centro, Formação de Liderança, todos direcionados ao uso sustentável da biodiversidade nos babaçuais, fortalecer o acesso de comunidades tradicionais das quebradeiras de coco babaçu a seus direitos e políticas, regularização e manutenção de seus territórios.

Quebradeiras de coco babaçu

O babaçu, predominante no Maranhão é muito usado na indústria de limpeza,  cosmética e outras. São cerca de 350 mil quebradeiras de coco no país. Elas estão concentradas, cerca de 80%, nos quatro estados de atuação do MIQCB (MA,PA,PI e TO). O acesso livre ao território é uma das principais luta das quebradeiras de coco babaçu.

O maior desafio é enfrentar a violência física e psicológica. Cerca de seis lideranças quebradeiras de coco babaçu estão ameaçadas somente no Maranhão de acordo com dados da CPT. A monocultura e o agronegócio são as principais ameaças. Dados da Cartografia Social da Amazônia, projeto desenvolvido pelas Universidades Federal do MA, PA e PI, indicam que as florestas de babaçu aumentaram de 18 milhões de hectares para 25 milhões nesses quatro estados.

A cultura da quebra do coco babaçu ainda resiste.  A relação de bem viver que mantém com o ambiente, preservando principalmente as palmeiras de babaçu as caracterizam como guardiãs das florestas. Do babaçu tudo se aproveita, são retirados mais de 65 produtos: azeite, sabonete, artesanato, farinha de mesocarpo entre outros.

TERMINA AMANHÃ O PRAZO PARA MATRÍCULAS NAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL

Encerra nessa sexta-feira (18) o prazo para que os estudantes entreguem os documentos solicitados nas escolas onde reservaram vagas via pré-matrícula online. Também alerta que não haverá prorrogação do prazo.

No total, foram ofertadas 110 mil vagas para a 1ª série do Ensino Médio em 711 escolas da rede estadual de ensino nos 217 municípios maranhenses, incluindo os 36 Centros Educa Mais (Escolas de Educação Integral).

A relação com os nomes dos estudantes e as escolas em que tiveram as vagas reservadas está disponível no site do Sistema Integrado de Administração de Escolas Públicas (Siaep), no endereço eletrônico http://siaep.educacao.ma.gov.br/.

Para realizar a matrícula, os estudantes ou pais e/ou responsáveis – no caso de jovens com menos de 18 anos – devem comparecer a escola munidos de original e cópia da seguinte documentação: Histórico Escolar ou Declaração de Escolaridade da última unidade de ensino em que estudou; duas fotos 3×4 recentes; Certidão de Nascimento/Casamento ou RG com CPF do estudante, se possuir; RG e CPF do responsável legal, no caso de estudante com menos de 18 anos; laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso); fatura atualizada da concessionária de energia elétrica (máximo de três meses).

FLÁVIO DINO TORNA-SE REFERÊNCIA NA POLÍTICO NACIONAL

Nesta quinta-feira (17), o governador do Maranhão será entrevistado no programa ‘Diálogos’, com o jornalista Mário Sérgio Conti, da GloboNews, às 23h de Brasília (22h horário local). Essa é só mais uma prova do quanto a voz de Flávio Dino tem repercutido em meio aos obscurantismos que cercam o novo governo federal.