PRESO É ASSASSINADO NA PENITENCIÁRIA REGIONAL DE PINHEIRO

O presidiário Johnnattan Kennedy Silva de Oliveira, de 21 anos, foi morto na manhã deste domingo (5) na Penitenciária Regional de Pinheiro (PRPHO), a 333 km de São Luís, como informou a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) por meio de nota.

Segundo a Polícia Civil, Johnnattan Kennedy conhecido como “De Menor” teria sido assassinado após ordens de líderes de uma facção criminosa do qual ele fazia parte. A polícia afirmou ainda que a ordem de execução partiu após Johnnattan ter matado um dos integrantes da mesma facção.

O delegado regional de Pinheiro, Oseias Cavalcanti, afirmou que a ausência do preso foi detectada durante o horário de visitas no domingo de manhã. Haviam 13 detentos na cela e eles informaram que o preso tinha saído para uma audiência e não havia retornado.

Quando confirmaram a ausência do preso, a polícia retirou as visitas para que fosse realizada uma revista em todas as celas, quando foi comprovado que ele havia sido morto e esquartejado por três presos não identificados.

“A princípio foram apreendidos alguns instrumentos cortantes improvisados com lâmina de barbear, mas ainda estão sendo realizadas revistas nas celas para localizar objetos cortantes que possam ter servido de instrumento para o crime”, explica o delegado.

De acordo com a Seap, um inquérito policial foi iniciado e de acordo com as investigações, as pessoa envolvidas no crime já deram seus depoimentos que ainda estão sendo analisados. Além disso, a Polícia Civil encaminhou o corpo da vítima para o Instituto Médico Legal (IML) de São Luís.

Leia a íntegra da nota:

“A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que já acionou a Polícia Civil, bem como o Poder Judiciário do Maranhão, para apuração e esclarecimento da motivação e circunstâncias do homicídio do interno Johnnattan Kennedy Silva de Oliveira, de 21 anos, registrado na manhã deste domingo (5), na Penitenciária Regional de Pinheiro (PRPHO), onde estava custodiado desde 18 de junho. Um inquérito policial já foi instaurado e os investigadores estão colhendo depoimentos de internos e funcionários da unidade prisional”.

Comente